Como estudar para uma prova

Com a chegada de outubro, tem início o período de provas das instituições de ensino superior. As avaliações de cada semestre letivo costumam seguir um padrão: duas provas bimestrais e um trabalho – sendo que este pode envolver a produção de um texto, uma apresentação ou a resolução de uma lista de exercícios. A seguir, vamos elaborar um esquema básico de preparação para provas. Vale lembrar que o modelo proposto neste texto é apenas uma possibilidade: caso se sinta confortável fazendo algo completamente diferente ou tenha encontrado um roteiro melhor na internet, vá em frente!

Também é importante ressaltar que estas orientações são mais adequadas a avaliações das ciências humanas e sociais e que abordem quantidades de conteúdo não tão amplas. Em outras palavras, caso precise se preparar para um exame das exatas, a prática pode ser mais útil, com a realização de listas de exercícios. Para um vestibular ou concurso, com toneladas de conteúdos, o comportamento de maratonista é mais importante, com uma preparação que se desdobra no cotidiano – e os itens a seguir seriam apenas uma pequena parte da jornada de estudos.

1. Faça um sumário de todo o conteúdo a ser abordado

Você sabe o que será cobrado? Um erro comum no processo de preparação, por conta da ansiedade em iniciá-lo, diz respeito à falta de planejamento e desconhecimento do que se deve estudar. O primeiro passo, portanto, envolve elaborar uma lista de todos os itens que deverão ser absorvidos. Caso o responsável pela avaliação – em geral, o docente da disciplina – ofereça um roteiro de estudos, já temos meio caminho andando. Tal roteiro costuma iniciar, justamente, com a lista de conteúdos exigidos na prova. No entanto, caso essa ferramenta não esteja disponível, você deve:

  • Relembrar a sequência de aulas até a data da avaliação;
  • Repassar o plano de ensino e a ementa do curso;
  • Conferir as anotações realizadas em seu caderno;
  • E, caso as etapas anteriores não sejam suficientes, procurar aquele/a aluno/a que possui o caderno mais invejado da turma – pela organização e detalhamento.

2. Planejamento

Qual o prazo até a prova? De forma ideal, considerando a disponibilidade de tempo e o desejo de se destacar na vida acadêmica, o/a aluno/a deve estudar todos os dias. Isso inclui repassar o conhecimento oferecido nas aulas e tentar cobrir a bibliografia do curso. No entanto, isso nem sempre é possível – pela atenção à família, demandas profissionais, imprevistos, etc. Assim, se não foi possível fazer o acompanhamento da disciplina ao longo do semestre, considere:

  • Qual o tempo disponível até a avaliação?
  • Tenho todos os materiais necessários? Caderno, textos, vídeos, etc?
  • O docente responsável pela disciplina deixou um roteiro de estudos à disposição?
  • Existe um local adequado para o estudo, com uma boa mesa e silêncio?

O tempo é uma variável fundamental, pois é o que permitirá definir o ritmo e a intensidade da preparação. Com um prazo longo, vale fazer uma cuidadosa leitura geral de todos os itens disponíveis, buscar o maior aprofundamento possível, consultar fontes alternativas, assistir videoaulas, organizar uma rodada de preparação com colegas de classe, entre outras possibilidades. Para quem deixou para a última hora, o melhor é encontrar os materiais essenciais e seguir um roteiro mais estrito de preparação.

3. Leitura geral

Vamos dar uma repassada geral? O ponto de partida, agora que já sabemos o que estudar e já planejamos minimamente esse processo, é a realização de uma leitura global. Todas as apresentações, slides, anotações no caderno, textos lidos, tudo deve ser repassado. Esse é o primeiro contato com o material de estudo e deve ser rápido.

No entanto, ainda que se trate de visão panorâmica, não deve ser demasiado superficial. Ao longo dessa leitura introdutória, faça anotações daquilo que lhe parece mais importante e/ou difícil. Você precisa conseguir se “localizar” em meio a tanto conteúdo, de forma a saber o que priorizar na etapa de aprofundamento.

4. Realize uma leitura aprofundada dos itens mais importantes

Após o mapeamento inicial, cabe o aprofundamento nos itens mais relevantes. Mas o que é o “mais importante”?

  • Os conceitos centrais do conteúdo em análise. Você não pode dizer que estudou Antropologia ou Sociologia adequadamente e não ter ideia do que significam conceitos como cultura, estrutura social, relações sociais, sociedade, etc. Do mesmo modo, não é possível passar por Karl Marx e não ter ideia de sua definição de capitalismo ou tratar de Max Weber e não entender sua definição de Estado;
  • Os processos históricos, políticos e sociais abordados. As aulas trataram de algum fenômeno de longa duração? O desenvolvimento das economias capitalistas ao longo do século XX? O combate ao racismo via estudos antropológicos? A superação da economia em bases artesanais e sua paulatina substituição por processos produtivos industriais?
  • Quais tópicos o/a professor/a valorizou em suas apresentações? As aulas, sobretudo em nível superior, também são construídas a partir de escolhas e afinidades dos docentes. Afinal, importante ressaltar, o profissional de uma faculdade tem papel bastante distinto do professor do ensino médio. Este deve fazer o máximo esforço para que seus alunos absorvam conteúdos fundamentais para o desenvolvimento de um mínimo de autonomia. Já em uma faculdade, o docente é um facilitador. Ele deve oferecer caminhos, orientar escolhas e jogar luz sobre certos aspectos do conteúdo. Mas não é sua responsabilidade “forçar” o aluno a aprender.

5. Prepare um bom resumo

Agora que você já leu tudo, passou pelos pontos mais importantes, fixou conceitos, processos e preferências de seu professor, chegou a hora de fazer um resumo. Trata-se de colocar todas essas ideias no papel, com o máximo de clareza e objetividade. E não confunda objetividade com superficialidade: todos os pontos importantes devem ser descritos com detalhamento suficiente para cumprir com as exigências da avaliação. O que se deve evitar são as discussões laterais e/ou divagações que não contribuem com o propósito do estudo.

Caso você tenha de lidar com materiais muito extensos, vale utilizar a dinâmica dos resumos em grupos de estudo. Vejamos um exemplo. Você integra um grupo de cinco pessoas que realiza trabalhos de forma conjunta e se reúne há tempos. Em breve será exigida uma avaliação que contempla cerca de 100 slides de apresentações, com muito texto. Uma abordagem possível é a de que cada um dos integrantes se prepare de forma individual/solitária. Uma boa alternativa, no entanto, é a seguinte:

  • Todos fazem a leitura geral dos 100 slides;
  • Em seguida, o conteúdo é dividido por cinco e cada um fica responsável por um lote de 20 slides;
  • Cada integrante fará um resumo de seus 20 slides, seguindo as orientações deste tutorial;
  • Os cinco resumos são integrados em um só e temos, desse modo, um caderno de estudos que será compartilhado entre os cinco participantes da dinâmica.

6. Está com tempo? Consulte fontes alternativas!

A vantagem de se preparar com antecedência é que você pode se dedicar a aprender, ao invés de se limitar a tirar uma boa nota. Muito se assimila em um processo de preparação, sem dúvida. Mas é importante que a apropriação do conhecimento seja a mais ampla possível e tenha utilidade para toda a vida. Não me parece razoável um processo pedagógico em que, passados 30 segundos da entrega da prova, já não se tenha lembrança de mais nada. O estudo com mais tempo e cuidado permite um contato mais profundo com os conteúdos da avaliação, de modo que eles se integrem ao nosso cotidiano, à nossa forma de pensar. Portanto, se você realizou uma preparação que se desdobrou ao longo do semestre, provavelmente terá tempo para consultar sítios na internet; áudios em um podcast; conferir as opções da biblioteca; procurar videoaulas; textos explicativos; etc.

Anúncios

2 comentários em “Como estudar para uma prova

  1. Parabéns professor Antônio, muito obrigado pelos ensinamentos, sou aluno José Ricardo Castro do curso de Direito matutino da faculdade Piaget, tenho profundo apreço pela sua metodologia de ensino, é bem clara e objetiva!

    Curtir

    1. Prezado José Ricardo,

      Muito obrigado pelos elogios e por acompanhar o meu trabalho. Espero que o texto seja útil em sua vida acadêmica! Um grande abraço e muito sucesso nas provas futuras!

      Grande abraço do Profº Antonio e da Sociologia da Gestão.

      Curtir

Vamos comentar, debater, analisar...?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s