O que é a Sociologia da Gestão?

Um novo campo de estudo nas ciências sociais

O que é a Sociologia da Gestão? Eis uma pergunta difícil de responder, embora possamos oferecer algumas definições provisórias. Vamos a elas. Em meados da década de 1970, o mundo pôde observar o surgimento de uma combinação peculiar. O discurso conservador quanto aos costumes ressurgiu associado à radicalização liberal no campo econômico. Assim sendo, visões de mundo conservadoras, dormentes durante a vaga transformadora dos anos 1960, passaram a uma relação de retroalimentação junto à retórica do liberalismo exacerbado  – e vice-versa. Três fenômenos sociais podem ser notados como decorrências dessa associação:

  • A grita por desregulamentação das atividades econômicas – o que pode ser visto com nitidez no ataque à legislação trabalhista e à regulação dos mercados financeiros;
  • O progressivo desmonte do Estado de bem-estar social (welfare state) e, antes, dos mecanismos de arrecadação que o mantêm em funcionamento;
  • O discurso da solidariedade social, substrato da organização dos agências e serviços públicos sociais desde o final da 2ª Grande Guerra, passa a dar lugar à tríade meritocracia, empreendedorismo e desmobilização sindical.

Nesse contexto, o trabalho progressivamente perde sua centralidade como elemento gerador de resultados econômicos positivos. Importa menos o trabalho em si e muito mais a gestão. O fazer, em si, e a atividade-fim perdem espaço para uma miríade de criações que abordam os processos de produção. Tais processos, aliás, passam a ser tratados de modo bastante peculiar: não se trata mais de uma questão de engenharia de produção e, tampouco, das ciências humanas. Trata-se da era dos experimentos psicologizantes, de muita criatividade, poucas preocupações éticas e efetividade duvidosa. Multiplicam-se os mecanismos de controle do trabalho: a jornada, o grau de comprometimento, as reflexões do trabalhador, o seu modo de agir, etc. Entramos na era do coaching, de vestir a camisa, construir o networking e de anular qualquer possibilidade de análise crítica das tarefas que realizamos.

A Sociologia da Gestão tem por objetivo analisar tais transformações do mundo do trabalho e perceber em qual momento o protagonismo da atividade produtiva foi substituído pela ideia de gestão e seus desdobramentos. Também cabe compreender quando a administração, como campo de conhecimento acadêmico, foi fagocitada por uma incrível variedade de experimentos pseudocientíficos: dinâmicas, exercícios, rituais e toda sorte de constrangimentos com o objetivo de gerar ganhos de produtividade.

Finalmente, a Sociologia da Gestão é um exercício de crítica a uma realidade em que gerir se tornou atividade mais relevante que produzir.


Foto: Divisão de classificação e catalogação dos Arquivos nacionais, EUA (1937). Domínio público.