Ciências Humanas: três sugestões para iniciantes

Talvez seja possível dizer que os cursos universitários das Ciências Humanas estejam em baixa no Brasil. Eles não figuram entre os preferidos do “empreendedorismo” e não aparecem nas matérias jornalísticas sobre as “profissões do futuro”. Em um país que pouco valoriza o tripé ensino, pesquisa e extensão universitária, soa como condenação a escolha de uma graduação que promete uma vida de docência e biblioteca. De fato, adquirir senso crítico e perspectiva histórica parece algo muito menos atraente que abrir uma paleteria mexicana.

Contudo, naquilo que resta de dignidade pedagógica, as graduações universitárias ainda mantêm algumas disciplinas genericamente conhecidas como Ética, Filosofia, Sociologia, Fundamentos das Ciências Sociais, Estudos culturais etc. E aí toda a falta de atenção a esse campo do conhecimento cobra seu preço. Temos uma geração de alunos e alunas que simplesmente não sabem realizar uma pesquisa acadêmica que passe pelas Ciências Humanas. Em geral, dois problemas se destacam: não existe qualquer domínio sobre metodologia científica e/ou não há rigor conceitual. Quanto ao segundo item, aliás, criou-se a crença de que não é preciso recorrer à biblioteca para explicar fenômenos sociais: basta copiar o conteúdo de algum site genérico da internet ou escutar algum astrólogo obscuro residente nos Estados Unidos.

Mas não se desespere! Algumas obras de relevo podem ajudar na superação dessas dificuldades formativas. Vamos a elas?


Umberto Eco - Como se faz uma teseECO, Umberto. Como se faz uma tese. Edição revista e aumentada. São Paulo: Perspectiva, 2020 [1977].

Umberto Eco (1932-2016) foi um dos maiores pensadores do mundo contemporâneo. De vasta formação e produção intelectual, atuou como cientista social, escritor, filósofo e linguista. Esse gênio nos legou esta obra clássica para o estudo de metodologia de pesquisa. Em uma área do conhecimento em que, infelizmente, parece fundamental escrever de modo incompreensível, Eco produz uma joia de texto: bem escrito, bem-humorado e que se faz entender. Trata-se de um breve tratado sobre as bases da pesquisa científica em Ciências Humanas, em que o autor vai de conselhos bastante iniciais até regras mais sofisticadas para elaboração de trabalhos acadêmicos. Recentemente foi elaborada uma muito aguardada ampliação do conteúdo original.

Nesse livro, você encontra:

Instruções preciosas sobre a realização do trabalho acadêmico, com explicações sobre o que é, para que serve e como se faz uma tese – sendo que todo o conteúdo apresentado pode ser aproveitado, com tranquilidade, para trabalhos de graduação mais simples. O autor orienta sobre como escolher um tema, pesquisar materiais, realizar o levantamento bibliográfico, elaborar fichamentos e realizar a redação final da pesquisa. Embora alguns elementos possam soar datados ou demasiado voltados à realidade italiana/europeia, praticamente tudo que se encontra na obra possui utilidade prática de pesquisa.


Conceitos essenciais da SociologiaGIDDENS, Anthony & SUTTON, Philip W. Conceitos essenciais da Sociologia. 2ª edição revisada. São Paulo: Editora Unesp, 2017.

Poucas coisas desesperam mais um professor das Ciências Humanas que o “achismo” radical de nosso tempo. Quando um aluno cita a Wikipédia – que passa muitíssimo longe de ser fonte ideal -, já se tem algo a comemorar. Afinal, em tempos de fake news, os grandes repositórios acadêmicos parecem ser: o grupo do WhatsApp, a corrente do Facebook, a própria imaginação ou algum lunático disfarçado de filósofo. Nesse sentido, a obra de Giddens e Sutton cumpre um papel importante: ajuda a definir conceitos basilares para qualquer debate que envolva fenômenos e processos sociais.

Nesse livro, você encontra:

67 conceitos essenciais da Sociologia e que remetem, também, aos campos da Antropologia, Ciência Política e História. Todos os verbetes possuem aproximadamente 5 páginas e se oferece uma visão simultaneamente introdutória e que aponta para possibilidades de aprofundamento teórico. Para cada item há uma Definição prática, as Origens do conceito, seu Significado e interpretação, os Aspectos controversos, sua Relevância contínua e as Referências e leitura complementar. Os conceitos abordados são: discurso; estrutura/ação; globalização; modernidade; pós-modernidade; racionalização; sociedade; ciência; construcionismo social; métodos qualitativos/quantitativos; realismo; reflexividade; tipo ideal; alienação; desenvolvimento sustentável; industrialização; meio ambiente; migração; risco; urbanismo; burocracia; capitalismo; consumismo; divisão do trabalho; educação; organização; religião; classe; gênero; interseccionalidade; mobilidade social; patriarcado; pobreza; “raça” e etnia; status; comunidade; curso de vida; família; rede; sexualidade; socialização; cultura; esfera pública; identidade; ideologia; interação; mídia de massa; biomedicina; estigma; eu social; medicalização; modelo social de deficiência; papel de doente; anomia; controle social; desvio; etiquetamento; justiça restaurativa; pânico moral; autoridade; cidadania; conflito; democracia; estado-nação; movimento social; poder; sociedade civil.


O que é ideologiaColeção Primeiros Passos, diversos autores e autoras, Editora Brasiliense (1980-atualidade).

Ainda que possua títulos que perderam relevância e alguns textos anacrônicos, a Coleção Primeiros Passos, da Editora Brasiliense, segue como referência importante para quem deseja iniciar o estudo de temas das Ciências Humanas. Vale um olhar cuidadoso para cada publicação, pois a qualidade é irregular. Mesmo assim, muitos itens continuam a ser excelentes leituras introdutórias. Alguns clássicos da coleção merecem destaque: O que é Ideologia, Marilena Chauí (1980); O que é racismo, Joel Rufino dos Santos (1980); O que é Filosofia, Caio Prado Júnior (1981); O que é Dialética, Leandro Konder (1981); O que é Capital, Ladislau Dowbor (1982); O que é participação política, Dalmo Dallari (1983); O que é Etnocentrismo, Everardo P. Guimarães Rocha (1984); O que é Cidade, Raquel Rolnik (1988); entre outros.


Observação:

Conveniente lembrar que, segundo a árvore do conhecimento utilizada pelo CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico), as Ciências Humanas são: Antropologia, Arqueologia, Ciência Política, Educação, Filosofia, Geografia, História, Psicologia e Teologia. Lembrando que a Filosofia não é uma ciência; trata-se de campo maior, mais vasto, mais antigo e que fornece as ferramentas necessárias ao desenvolvimento do método científico. De forma adicional, os cursos de Pedagogia e Psicologia gozam de grande popularidade em instituições universitárias, de modo que não seria justo incluí-los na crise mencionada nos parágrafos iniciais.


As imagens das obras listadas fazem referência às capas das mesmas e, desse modo, são de responsabilidade/propriedade da Editora Perspectiva (Como se faz uma tese); Editora Unesp (Conceitos essenciais da Sociologia); e Editora Brasiliense (O que é ideologia). A imagem em destaque é de David P. Whelan via Morguefile.com.

Adquira e colabore para manutenção do Portal Sociologia da Gestão:

2 comentários em “Ciências Humanas: três sugestões para iniciantes

  1. Maravilhoso com certeza vou querer ler parabéns professor ??

    Obter o Outlook para Android ________________________________

    Curtir

    1. Prezada Brenda,

      Muito obrigado pela visita ao portal! Fico muito feliz que um texto como esse possa colaborar com a formação de meus alunos e alunas. Aguardo sua opinião/avaliação após a leitura.

      Um grande abraço e fique bem!

      Curtir

Os comentários estão fechados.